segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Animais mais antigos já preservados em âmbar

Dois ácaros e uma mosca de 230 milhões de anos foram achados na Itália

Os animais mais antigos já preservados em âmbar, uma resina de árvore fossilizada capaz de manter bichos pré-históricos da mesma forma como eram em vida, foram descobertos por cientistas na Itália. Na imagem, Trasacarus fedelei (à esquerda) e Ampezzoa triassica (Foto: A. Schmidt/University of Göttingen/PNAS/AP).
Os três pequenos espécimes têm cerca de 230 milhões de anos, 100 milhões a mais que as criaturas mais velhas conhecidas até agora. O achado está descrito na edição desta segunda-feira (27) da revista "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS).
Os artrópodes – categoria de invertebrados que inclui insetos, crustáceos e aracnídeos – morreram nessa "armadilha" que parece uma seiva durante o período geológico Triássico. Dos três bichos, dois são ácaros microscópicos (chamados de Trasacarus fedelei e Ampezzoa triassica) e o outro é uma mosca menor que uma mosca-da-fruta (Drosophila melanogaster). Leia a matéria completa no G1 da Globo.

Leia Também