quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Clonagem de mamute está próxima


Restos congelados e bem preservados de Mamute podem conter células vivas

Esse tipo de descoberta sempre levanta a hipótese de se criar um clone. Cientistas descobriram na Sibéria restos congelados e bem preservados de mamute-lanoso (Mammuthus primigenius) que podem conter células vivas e levar à clonagem desse animal, afirmou uma missão da Universidade Federal do Nordeste da Rússia na terça-feira.
Foram encontrados pelos, tecidos macios e medula a 100 m de profundidade durante uma expedição à província de Yakutia. O grupo, formado por pesquisadores russos e sul-coreanos, estabelece como meta encontrar células vivas para a clonagem da espécie. "Apenas através de pesquisa em laboratório se saberá se essas células estão vivas ou não", disse Semyon Grigoryev, líder da expedição, ao site Vzglyad. Segundo o cientista, até o fim do ano essa análise laboratorial deve estar pronta.
O mamute-lanoso pode ter sido extinto a 10 mil anos atrás. Boa parte do código genético dessa espécie já foi decifrada e os pesquisadores acreditam que a clonagem é possível se forem encontradas células vivas desses animais no permafrost.

Leia Também