sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Extinção do Thylacinus foi causa humana


A caça e ações humanas são grandes responsáveis por dizimar espécie

Segundo o estudo, o último Thylacinus ou lobo-da-Tasmânia morreu em um zoológico em 1936, O estudo foi publicado na edição de janeiro no periódico "Journal of Animal Ecology". Segundo os pesquisadores, uma das hipóteses cogitadas era a de que uma epidemia teria sido crucial para a extinção da espécie - suposição que foi afastada pelos dados levantados no estudo. A pesquisa da Universidade de Adelaide, na Austrália, aponta que os humanos foram os grandes responsáveis pela extinção do animal conhecido como lobo-da-Tasmânia, da espécie Thylacinus cynocephalus.
Os cientistas criaram vários modelos matemáticos, eles simularam os efeitos diretos da caça feita pelos humanos, da perda de habitat, da colonização europeia na região da Tasmânia e também os indiretos, como a diminuição das presas dos lobos-da-Tasmânia devido à agricultura e outras ações de origem humana.
Os resultados mostraram que o impacto da presença humana, sozinha, foi suficiente para dizimar a população dos animais, cujos últimos exemplares deixaram de existir no início do século 20.
Thomas Prowse, um dos autores da pesquisa, explica que, no fim do século 19, o governo da Tasmânia pagou recompensas a quem matasse lobos-da-Tasmânia e entregasse os corpos.
Existia uma ideia corrente, na época, de que estes animais eram predadores de ovelhas - um estudo recente, no entanto, aponta que as mandíbulas do tilacino eram tão frágeis que suas vítimas possuíam no máximo o tamanho de gambás.

Leia Também