terça-feira, 26 de março de 2013

Fósseis mais antigos de macacos encontrados no Quênia


Dentes e fragmentos de mandíbulas foram descobertos por americanos

Fósseis de macacos mais antigos do chamado Velho Mundo (território conhecido pelos europeus até o século 15, que abrangia Europa, Ásia e África), foram descobertos no Quênia por Cientistas americanos.
A maioria desses fósseis encontrados são pequenos dentes e fragmentos de ossos, principalmente de mandíbulas, têm 12,5 milhões de anos, 3 milhões a mais que os conhecidos até agora.
O achado foi feito nos Montes Tugen, por pesquisadores das universidades de Nova York, Yale e Stony Brook. A equipe foi liderada por James Rossie, Christopher Gilbert e Andew Hill, que publicaram os resultados na edição online desta segunda-feira (18) da revista "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS), da Academia Americana de Ciências.
Esses macacos da família Cercopithecidae viveram em um período geológico da era Cenozoica chamado Mioceno, entre 23 milhões e 5 milhões de anos atrás. Foi nessa época que surgiram os mamíferos considerados "evoluídos", como primatas e ruminantes.

Leia Também